Segundo o delegado, as falsificações eram tão bem feitas que enganavam a todos

Homens são presos em Araras por suspeita de adulteração de documentos de veículos

A Polícia Civil de Araras/SP desarticulou um esquema de falsificação de documentos e venda ilegal de veículos. Foram pelo menos 21 casos e dois homens, um empresário de 29 anos e um comerciante de 30 anos, foram presos nesta última quarta-feira (24) quando retiravam documentos falsos em um despachante da cidade.

Segundo o delegado, as falsificações eram tão bem feitas que enganavam a todos

Segundo o delegado, as falsificações eram tão bem feitas que enganavam a todos

Segundo a Polícia, o grupo fazia a locação dos veículos com documentos falsos em locadoras de diferentes cidades paulistas. Depois, transferia para o nome de uma pessoa fictícia e vendia os carros. A vítima só percebia que havia caído em um golpe quando tentava fazer a transferência do automóvel.

“Os documentos eram de uma qualidade tão grande que enganavam estacionamentos, despachantes e enganaram até a Ciretran”, disse o delegado responsável pela investigação, Paulo Hadich.

 

Flagrante

As transações eram investigadas há 20 dias. “Soubemos que um veículo foi adquirido por um estacionamento do município de Limeira, mas que havia sido transferido em Araras com documentos falsos”, afirmou Hadich.

Ele explicou que a Polícia já sabia que os suspeitos iriam buscar os documentos no despachante nesta quarta e que os dois tentaram fugir quando perceberam a presença das equipes, mas foram alcançados. Na ação os policiais ainda apreenderam o carro que os homens usavam e o veículo de uma vítima.

De acordo com o delegado, o grupo agia em diferentes locais. Os integrantes alugavam os carros em locadoras de todo o Estado e usavam despachantes de várias cidades. Por fim, faziam as transferências na Ciretran de Araras.

“Até o momento não temos nenhum indício de [participação de] qualquer funcionário, nem de despachantes e nem da Ciretran do município, mas há participação, com certeza, de mais pessoas”, afirmou Hadich.

“Nós vamos separar a investigação por veículo. Naturalmente, disso sairão 20 apurações diferentes, no mínimo, a partir de agora. Pode ser que isso se amplie, e muito, a partir da identificação de novos casos”, finalizou.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Copyrıght Grupo Opinião. Todos os direitos reservados.