A voluntária Iolanda Bovo vendendo pães em frente à Basílica Nossa Senhora do Patrocínio no sábado de manhã

O trabalho voluntário é feito sem esperar alguma coisa em troca, mas traz muitos efeitos positivos para a vida

A voluntária Iolanda Bovo vendendo pães em frente à Basílica Nossa Senhora do Patrocínio no sábado de manhã

A voluntária Iolanda Bovo vendendo pães em frente à Basílica Nossa Senhora do Patrocínio no sábado de manhã

O que você faz de melhor, pode fazer bem para outra pessoa. E é esse o espírito do trabalho voluntário, colocar-se à disposição para aqueles que mais precisam.

Existem diversos tipos de trabalho voluntário. “Trabalho fazendo pães para vender. O dinheiro arrecadado vai para a Basílica e depois é encaminhado para quem precisa. Tanto que para o Natal já estão pensando o que será feito”, diz Iolanda Bovo, 65 anos.

E são muitas pessoas que precisam de ajuda. “Além de fazer os pães e vender em algumas igrejas (Basílica, Santa Teresinha e Divino Espírito Santo), eu faço outros serviços para hospitais de câncer. Tudo o que eu ganho eu procuro passar para o próximo que necessita”, conta a aposentada.

O trabalho é feito sem esperar alguma coisa em troca, mas traz muitos efeitos positivos para a vida. “Desde que comecei a praticar o voluntariado minha saúde melhorou muito. Faço tudo por puro amor ao próximo”, afirma ela.

Segundo a voluntária, partilhar é fundamental. “Acredito que ajudar quem precisa é a união que o mundo carece. É necessário pensar em mais alguém além de nós mesmos”, frisa.

Bruna Eduarda

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Copyrıght Grupo Opinião. Todos os direitos reservados.