A ação faz parte da ‘Operação Madeira’ que ocorre até hoje (11)

Polícia de Rio Claro apreende madeira irregular e autua dono em R$ 22 mil em Araras

 

A ação faz parte da ‘Operação Madeira’ que ocorre até hoje (11)

A ação faz parte da ‘Operação Madeira’ que ocorre até hoje (11)

A Polícia Ambiental de Rio Claro/SP apreendeu cerca de 74 metros cúbicos de madeira nativa sem documentação em um depósito de Araras/SP, na última quarta-feira (9). O dono do local foi multado em R$ 22 mil. Também foram encontradas irregularidades em madeireiras de Tambaú, São José do Rio Pardo e Vargem Grande do Sul, somando R$ 199,9 mil em multas. As informações são do portal G1 e EPTV.

A ação faz parte da ‘Operação Madeira’ que ocorre até hoje (11). O objetivo é impedir a venda e o transporte ilegal do material. A equipe da EPTV procurou a madeireira e o gerente disse que espera regularizar a situação em uma audiência de conciliação.

Atualmente, a venda de madeiras é fiscalizada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama). Os caminhões e pátios autorizados devem ter o selo verde ou o documento de origem florestal para trafegar legalmente nas rodovias.

Para fiscalizar o transporte ilegal de madeira, a Polícia Ambiental também fez um bloqueio no km 297 da Rodovia Washington Luís (SP-310), em Rio Claro.

Madeireiras da região

Em São José do Rio Pardo, uma madeireira vendia madeira nativa sem Documento de Origem Florestal (DOF) e armazenava sem origem legal. Foram apreendidos cerca de 17 metros cúbicos de madeira nativa e aplicada multa de R$ 4.580,67.

Em outro local da cidade, que já teria encerrado atividades há dois anos, a Polícia encontrou 552 metros cúbicos de madeiras nativas serradas. O dono foi multado em R$ 165 mil por vender sem emissão de DOF, para o qual comina multa simples no valor de R$ 165.600,66.

Em Vargem Grande do Sul a fiscalização encontrou venda de madeira nativa sem emissão de documentação e armazenamento sem origem legal. Foram apreendidos 24 metros cúbicos de madeira e aplicada multa no valor de R$ 3.812,73 para o armazenamento de madeira sem origem legal, e multa simples no valor de R$ 3.686,25 por vender sem DOF.

Em Tambaú uma madeireira vendia madeira nativa sem emissão de DOF (49,6 metros cúbicos) e armazenava madeira nativa sem origem legal (24,3 metros cúbicos). Foi aplicada multa de cerca de R$ 22,2 mil.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Copyrıght Grupo Opinião. Todos os direitos reservados.