O volante não pode ficar encostado nas pernas e não pode estar muito distante, a ponto de os braços ficarem estendidos demais

Postura correta na direção é sinônimo de segurança no trânsito

 

O volante não pode ficar encostado nas pernas e não pode estar muito distante, a ponto de os braços ficarem estendidos demais

O volante não pode ficar encostado nas pernas e não pode estar muito distante, a ponto de os braços ficarem estendidos demais

Seja em viagens de longa ou curta distância, estar bem disposto para cair na estrada garante uma viagem tranquila e segura. E isso envolve tanto a atenção – não estar com sono ou sob efeito de bebidas alcoólicas ou remédios – quanto a postura. Conduzir o veículo em posição inadequada pode causar dores, cansaço e incômodo.

Por este motivo, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran) chama a atenção do condutor para a importância da correta postura no momento de dirigir.

“Para quem passa horas no trânsito, sentar de forma inadequada e com o posicionamento dos controles do veículo incorretos, pode levar a dores nas costas, nos braços e pernas e, em longo prazo, pode evoluir para doenças crônicas”, alerta, em nota, a fisioterapeuta Silvia Andrusaitis, encarregada da fisioterapia do Hospital das Clínicas.

Para não sofrer no trânsito, confira as dicas do Detran

Ao sentar – O banco do veículo deve ter uma inclinação pequena, em torno de 100º. Segundo a especialista, encostos muito retos, depois de um tempo prolongado, provocam desconforto. A coluna deve estar totalmente apoiada no encosto e a altura do banco e sua aproximação em relação ao painel devem permitir que os pés alcancem os pedais sem esforço.

Espelhos – Arrumar corretamente os espelhos também influencia na postura. Os espelhos devem permitir boa visualização, sem necessidade de inclinação e rotação do tronco e da cabeça do motorista.

Braços – Devem ficar ligeiramente dobrados. O volante não pode ficar encostado nas pernas e não pode estar muito distante, a ponto de os braços ficarem estendidos demais. “Braços muito esticados levam à dor nos ombros e pescoço”.

Pernas – Os joelhos devem ficar ligeiramente dobrados. O controle constante do veículo por meio dos pedais provoca dores nas pernas e, ao longo do dia, sobrecarrega a região inferior das costas. A dica para aliviar a tensão é apoiar os pés completamente no chão do veículo, sempre que possível, para um breve descanso.

Cabeça – O encosto da cabeça permite que haja uma distribuição do peso da cabeça entre o pescoço e o encosto, evitando a sobrecarga da coluna cervical e ombros. “O perfeito ajuste do encosto da cabeça, além de prevenir dores musculares na região superior do tronco, ainda previne um movimento chamado ‘chicote’, onde a cabeça faz um movimento brusco para frente e para trás, caso haja uma colisão traseira do veículo”, explica. Segundo Silvia, o “chicote” é uma lesão importante que pode levar desde a um torcicolo até luxações das vértebras cervicais.

“Manter a postura corporal correta é de extrema importância, não apenas para prevenção de lesões, mas também como medida de segurança no trânsito”, aponta o diretor-presidente do Detran, Maxwell Vieira. “Afinal, se o motorista está desconfortável e precisa fazer movimentos bruscos para alcançar os controles do veículo ou ter uma visualização adequada, a sua atenção no trânsito fica comprometida, colocando em risco a si e aos demais”, ressalta.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Copyrıght Grupo Opinião. Todos os direitos reservados.