A psicóloga Elaine Reis entre os vereadores Francisco Nucci Neto (PR) e Regina Noêmia Geromel Corrochel (PTB), autores de projeto sobre a questão

Prevenção ao suicídio é assunto debatido durante sessão ordinária

Campanha ‘Setembro Amarelo’ de conscientização sobre o tema é resultado de projeto de lei aprovado pela Câmara

A psicóloga Elaine Reis entre os vereadores Francisco Nucci Neto (PR) e Regina Noêmia Geromel Corrochel (PTB), autores de projeto sobre a questão

A psicóloga Elaine Reis entre os vereadores Francisco Nucci Neto (PR) e Regina Noêmia Geromel Corrochel (PTB), autores de projeto sobre a questão

A Câmara Municipal de Araras recebeu, durante a 32ª sessão ordinária, na noite da última segunda-feira (11), a psicóloga Elaine Reis, da Aehda (Associação de Educação do Homem de Amanhã), que discursou sobre a importância de valorizar a vida e a prevenção ao suicídio. O evento faz parte da campanha “Setembro Amarelo”, projeto de lei de autoria dos parlamentares Francisco Nucci Neto (PR) e Regina Noêmia Geromel Corrochel (PTB), aprovado pelo Legislativo no dia 3 de julho deste ano com o objetivo de conscientizar a população quanto à temática. O dia 10 de setembro é a data oficial da Prevenção Mundial do Suicídio.

A psicóloga discorreu sobre as formas de prevenção e ética na divulgação do suicídio, a importância de conversar sobre o tema com os jovens e apresentou slides com estatísticas de suicídios no Brasil, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com os números, há uma estimativa de 804 mil homicídios por ano no mundo, sobretudo, em países onde a renda é considerada baixa ou média. Os casos envolvem principalmente os homens e a cada 48 segundos existem pessoas cometendo suicídio no mundo. “O suicídio é um processo de decisão sobre as vantagens e desvantagens de viver, trata-se de um ato cujo risco pode aparecer em diversos tipos de agravos de saúde mental ou relacionados a doenças físicas, crônicas, doenças terminais, desemprego, entre outros, sendo considerado um problema de saúde pública”, disse.

Elaine explicou, ainda, que o Brasil é o oitavo país em número de suicídios. Em 2012 foram 11.821 mortes, sendo 9.198 homens e 2.623 mulheres. Entre os jovens o suicídio só perde para as mortes em acidentes de trânsito e por violência armada. Para a psicóloga, as pessoas que fomentam a ideia do suicídio, na sua grande maioria, dão alguns sinais claros de que estão com sérios problemas para os quais não veem saída racional e objetiva. Atualmente há um aumento dos casos em idosos. “Houve um aumento dos suicídios entre os idosos em 2016 e agora em 2017, por causa de eles se sentirem inúteis, desamparados, por ficarem viúvos, por se aposentarem e acharem que não servem mais para nada”, relata.

Durante sua exposição, Elaine esclareceu que se for trabalhada a prevenção, de cada dez casos de suicídios nove podem ser evitados. “É importante acompanhar a alteração de comportamento das pessoas e oferecer ajuda se necessário”, alerta. O médico e autor do projeto da Campanha ‘Setembro Amarelo’, o parlamentar Francisco Nucci Neto elogiou a explanação de Elaine Reis e se mostrou satisfeito em saber que 90% dos casos podem ser evitados. “Quero agradecer sua presença e parabenizar por combater o suicídio e fiquei muito feliz em saber o quanto é fácil evitar uma tragédia. Muito bom saber que de cada dez casos, nove podem ser evitados”, destaca.

O vereador Romildo Benedito Borelli (PSD) disse que houve um aumento nesta questão de suicídio nos últimos anos e atribui a situação pela falta de perspectiva, estresse e depressão das pessoas. “Tive há pouco tempo uma pessoa da minha família que apresentou essas características e foi difícil reanimá-la. Semana passada um senhor no bairro Belvedere cometeu o suicídio com 71 anos. Uma pessoa que está com depressão precisa acreditar em um ser superior. Entendo que essas pessoas não podem ficar sozinhas”, frisa.

A vereadora Regina Noêmia Geromel Corrochel, também autora do projeto de lei ‘Setembro Amarelo’, questionou a psicóloga se o paciente apresentar melhoras após ser medicado, se há a necessidade de continuar o acompanhamento. “Existem estudos que comprovam que quando o paciente apresentar melhoras não significa que ele está curado, mesmo estando alegre, feliz, é preciso ficar atento. Inclusive se ele tiver um comportamento de organizador nesse período, por exemplo arrumar o quarto, deixar os sapatos no lugar certo, os livros bem arrumadinhos, isso pode ser um sinal de que ele vai cometer o ato. Então, é preciso muito cuidado”, explica Elaine.

Os parlamentares Eduardo Elias Dias (PHS) e Jackson de Jesus (Pros) elogiaram o trabalho da psicóloga no sentido da prevenção. “Parabéns pela explanação do tema, a depressão de fato é uma doença silenciosa e que inspira cuidados. Estudando sobre o assunto li que o suicida ele não quer acabar com a vida e sim acabar com a dor. Então é importante esse trabalho de prevenção para poupar vidas”, disse Jackson. “Quero agradecer a sua presença aqui nesta Casa de Leis e nos ensinar com esse tema tão importante, pois é um assunto que preocupa muitas famílias, precisa da mobilização e ajuda das autoridades para conscientizar as pessoas sobre o valor da vida”, disse Eduardo Elias Dias.

O presidente da Câmara Municipal, o vereador Pedro Eliseu Sobrinho (DEM), agradeceu a presença da palestrante na sessão e pediu a continuidade no trabalho de conscientizar as pessoas quanto à prevenção ao suicídio. “Nós vereadores ficamos extremamente felizes com a explanação do tema, principalmente nos dias de hoje. Aliás se encaixa perfeitamente neste mês, já que a Câmara aderiu à campanha do ‘Setembro Amarelo’. Continue tratando dessa questão com responsabilidade. Nossas homenagens a você e à Aehda”, ressaltou.

No sábado (16) a psicóloga Elaine Reis fará uma palestra sobre o tema na sede da Aehda (Associação de Educação do Homem de Amanhã), às 14 horas.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Copyrıght Grupo Opinião. Todos os direitos reservados.