Samu de Araras registra mais de 2 mil trotes em 2016

O Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) de Araras registrou mais 2 mil trotes em 2016. Quem pratica esta brincadeira de mau gosto pode ser multado, já que uma equipe de emergência é enviada para um atendimento falso.

Em 2016, o Samu recebeu cerca de 22 mil ligações, sendo que 10% deste número eram trotes

Em 2016, o Samu recebeu cerca de 22 mil ligações, sendo que 10% deste número eram trotes

Até o fechamento desta edição, o serviço recebeu aproximadamente 22 mil ligações durante o ano, em que 10% deste número eram trotes. Cada chamado é um pedido de ajuda. Quando o telefone toca no Samu, quem atende chama a equipe de socorristas, que sai pelas ruas da cidade. Tudo para socorrer uma vítima.

Porém, em muitas ocasiões a vítima não existe. Quando o telefone toca, do outro lado da linha, quem pede ajuda na maioria das vezes são crianças passando trotes. “O Samu é um serviço que se baseia no atendimento de telefone com a solicitação de quando há ocorrências. E no período de férias escolares as crianças usam o número de emergência para passar trotes”, aponta o coordenador regional do Samu de Araras, Rodrigo Mucio Vilela.

O caso que mais chamou atenção dos atendentes foi de um homem que já ligou mais de 200 vezes de um mesmo telefone. “Nosso sistema de identificação verificou que o número é de Pirassununga. Essa pessoa ligava e dizia palavras obscenas para as nossas telefonistas. E esse caso nós conseguimos resolver por meio de ação da Polícia Militar”, conta o coordenador.

O médico socorrista, Sávio Duarte, conta que já houve ocasiões em que foi enviado para uma ocorrência, mas quando chegou ao local não havia nada

O médico socorrista, Sávio Duarte, conta que já houve ocasiões em que foi enviado para uma ocorrência, mas quando chegou ao local não havia nada

Segundo a telefonista Mirian Verlotta Vilela, as ligações recebidas são passadas por uma triagem, mas algumas vezes o trote acaba não sendo identificado. “Quando recebemos uma ligação nós fazemos várias perguntas sobre o que está acontecendo e logo em seguida passamos para o médico da ambulância. No entanto, alguns pedidos passam na triagem e quando a viatura chega ao local não encontra nada”, explica.

Já o médico socorrista, Sávio Duarte, alerta que estas brincadeiras prejudicam o atendimento de quem realmente precisa. “Estes trotes atrapalham o trabalho do Samu, pois no tempo em que a ambulância se desloca para atender um trote pode entrar uma vítima de verdade e o veículo não estar disponível”, ressalta.

Segundo uma lei estadual passar trote é crime e se a ligação falsa for feita para o Samu, a pessoa pode ser multada em mais de R$ 1,2 mil.

 

Ligações de emergência são passadas por triagem

Ligações de emergência são passadas por triagem

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *


Copyrıght Grupo Opinião. Todos os direitos reservados.